Banksy confirma novo grafite no interior da Inglaterra

O grafite mostra uma menina usando um bambolê feito de pneu de bicicleta em um muro na cidade de Nottingham. Grafite mostra menina com bambolê e foi confirmada como sendo de autoria do artista Banksy
Carl Recine/Reuters
O artista britânico Banksy postou neste sábado (17) no seu perfil no Instagram a foto de um grafite com uma menina usando um bambolê feito de pneu de bicicleta em um muro na cidade de Nottingham.
O grafite surgiu na terça-feira (13) em uma parede na esquina da Rothesay Avenue, mas havia dúvidas se a obra era mesmo do artista.
Pintada em preto e branco, a imagem fica atrás de uma bicicleta danificada e sem um pneu, acorrentada a um poste.
Surinder Kaur, 42 anos, dona do salão de beleza ao lado do muro grafitado, disse que a bicicleta apareceu junto com a obra.
Ela contou que foi colocada uma película de plástico transparente por cima da obra. A iniciativa acabou protegendo o grafite, que acabou sendo pichado duas vezes.
O grafite acabou virando atração e muitas pessoas estão formando filas para vê-lo.
“Todos estão muito animados e muitas pessoas estão vindo para ver a foto”, disse Kaur. “Todo mundo estava em dúvida se era real ou não, mas é uma arte incrível.”
Grafite atraiu a atenção de várias pessoas neste sábado
Carl Recine/Reuters
Multidão se aglomera para ver obra de Banksy
Carl Recine/Reuters
Obra no metrô
Em julho, Banksy fez um obra no metrô de Londres. Ele marcou paredes dos vagões com os tradicionais ratos e mensagens sobre a pandemia do coronavírus e até interage com usuários ao pedir para eles não ficarem por perto.
Banksy aparece em um vídeo usando máscara e equipamento de proteção como se fosse fazer a limpeza do espaço. A intervenção foi chamada de “If you don’t mask – you don’t get”.
Banksy faz intervenção no metrô
Reprodução/Instagram/Banksy
Mas, horas depois da intervenção, a companhia que administra o metrô de Londres apagou os grafites que Banksy deixou nos vagões encorajando as pessoas a usarem máscaras durante a pandemia do coronavírus.
Segundo uma porta-voz da empresa Transport for London (TfL), a ação violava a “rigorosa política antigrafite” da empresa.
Fonte: G1