O disco ‘Brilho dos olhos’ tem lançamento previsto para o primeiro trimestre de 2021com músicas como ‘A rua’ e ‘Tão down’. ♪ Com a edição do single Horizonte, lançado em 4 de dezembro com regravação da composição de Johnny Magrão, Casa das Máquinas aponta a chegada do primeiro álbum da banda paulistana desde 1976.
Quando o álbum Brilho nos olhos for lançado pela gravadora Monstro Discos, no primeiro trimestre de 2021, já fará 45 anos da edição de Casa de rock (1976), o então derradeiro álbum dessa banda de rock criada em 1973, desativada em 1978, remontada brevemente em 2003 e reagrupada de forma duradoura a partir de 2007.
Brilho nos olhos é o título do quarto álbum da Casa das Máquinas, banda na qual se abrigam atualmente Mario Testoni Junior (voz e teclados), Lucas Tagliari (bateria), Cadu Moreira (voz, guitarra e violão), Geraldo Vieira (voz e baixo) e Ivan Gonçalves (voz).
Horizonte é o quarto e último single apresentado antes da edição do álbum Brilho nos olhos. O primeiro single, A rua, foi lançado em 27 de março com a gravação de composição de autoria de José Aroldo Binda, músico integrante da primeira formação da Casa das Máquinas. A rua versou sobre o abandono de crianças na selva das cidades.
Capas dos quatro singles que antecedem o álbum ‘Brilho nos olhos’, da banda Casa das Máquinas
Divulgação / Montagem G1
Em 5 de junho, o quinteto lançou o segundo single do disco, Brilho nos olhos, com a gravação da música que intitula o álbum. Brilho nos olhos, a música, é parceria do tecladista Mario Testoni com o guitarrista Cadu Moreira.
Na sequência, a banda lançou, em 28 de agosto, o single Tão down, com música composta por ex-guitarrista da Casa das Máquinas, Marcelo Schevano, e gravada com arranjo de Testoni.
A propósito, Testoni também é o autor do arranjo do single Horizonte, criado com influência do som progressivo de bandas inglesas como Pink Floyd e Yes. Horizonte é música já gravada há alguns anos pelo autor Johnny Magrão, com a participação de Testoni nos teclados.
A colaboração é bisada na gravação de Horizonte feita pela Casa das Máquinas com a intervenção de Magrão, que declama trecho da letra no fonograma atual.
Fonte: G1