Foto: José Cruz/Arquivo/Agência Brasil/Eleições 2020

A recomendação de levar título de eleitor e um documento com foto já é de praxe em toda votação. Mas, diante da crise de coronavírus, outros itens vão ser obrigatórios ou indispensáveis para que o comparecimento às urnas ocorra com segurança e proteção.

Foto: José Cruz/Arquivo/Agência Brasil/Eleições 2020

O diretor-geral do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), Mauro Sérgio Rodrigues Diogo, explicou que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) prepara um protocolo que será aplicado no dia da eleição, mas ele antecipa algumas das medidas que serão adotadas.

  • álcool em gel em todas as salas de votação;
  • mesários vão usar máscaras e face shield (proteção facial) que serão distribuídos pela Justiça Eleitoral;
  • uso obrigatório de máscaras pelos eleitores;
  • distanciamento social obrigatório nas filas, com demarcação de espaço no chão;
  • uma bandeja será utilizada para que os eleitores apresentem os documentos de identificação obrigatórios e dessa forma evite o contato direto com os mesários;
  • cada eleitor deverá levar sua própria caneta para assinar o registro de votação;

“O TSE já determinou que neste ano a biometria está suspensa, porque o sensor digital teria que ser utilizado por todos os eleitores, o que é um risco de aumento do contágio”, explica.

Outro detalhe é que, como a urna eletrônica não tem como ser higienizada após cada voto, a recomendação é que os eleitores possam levar luvas ou algum saco plástico para utilizar enquanto digita os votos na urna.

“A Justiça Eleitoral também vai desenvolver um protocolo específico para as tribos indígenas, com medidas de segurança adequadas”, ressaltou o diretor-geral do TRE.

Mesários

Na última semana o TRE já iniciou o cadastramento de mesários voluntários. A estimativa é de que pelo menos 5 mil pessoas se alistem para trabalhar nas seções de votação no dia 15 de novembro e, caso haja segundo turno em Cuiabá, também no dia 25 de novembro.

“Ao final do mês começam a ser convocados os mesários por meio dos cartórios eleitorais. Serão 40 mil pessoas trabalhando nas eleições”.

Mauro Sérgio destaca que os convocados que estão no grupo de risco deverão se manifestar perante a Justiça Eleitoral para que possam ser dispensados.

Custo das eleições

As eleições municipais e a suplementar ao Senado que será realizada este ano em Mato Grosso terão custo estimado de R$ 10 milhões. O valor é destinado pelo TSE.

A Justiça Eleitoral não tem informações ainda de quanto será o custo adicional gerado com a aquisição de equipamentos de proteção individual (EPIs) e álcool em gel. Custo que também será arcado pelo TSE.

Fonte: O Livre