Já prevendo adiamento de pleito, DEM mantém secretários no Governo

Figueiredo, Gallo, Carvalho e Marcelo Oliveira estão entre os cotados à disputa ao Palácio Alencastro.

O presidente do DEM, Beto Dois a UM: "decisão foi tomada em conjunto". Foto: Victor Ostetti/ Midia News
Após reuniões realizadas desde o último final de semana, o DEM decidiu que não fará a desincompatibilização, ao menos por ora, de nenhum dos secretários que ocupam cargos no Governo com vistas às eleições para Prefeitura de Cuiabá.
O presidente do DEM, Beto Dois a UM: “decisão foi tomada em conjunto”. Foto: Victor Ostetti/ Midia News

Pela legislação eleitoral, aqueles que ocupam funções públicas no Estado e que têm interesse em concorrer nas eleições de outubro devem deixar seus cargos até o próximo dia 4.

Ocorre que, o governador Mauro Mendes (DEM) e os membros de seu staff têm o entendimento de que o pleito será adiado, em razão da pandemia da Covid-19 (novo coronavírus).

Desta forma, não há a necessidade de retirá-los de seus cargos neste momento visto que, um adiamento no pleito, consequentemente, retardará todo o calendário eleitoral.

“A gente tem um entendimento que não é lógico as eleições acontecerem no período de pandemia. Como fazer convenções mês que vem? Promover aglomeração? A gente entende que ter eleição em outubro seria muito complexo. Pela lógica, acreditamos que o pleito será adiado”, disse o presidente do DEM em Cuiabá, Alberto Machado, o Beto Dois a Um.

Segundo ele, a decisão de manter os secretários em seus cargos passa pela opção do Governo em focar as atenções neste momento ao combate à pandemia.

“Não vamos deixar de enfrentar a Covid que é o problema prioritário no momento, desincompatibilizando qualquer um dos secretários que estão fazendo um trabalho à frente desse combate”, disse Beto.

“Todos concordaram que o caminho mais lógico é isso. Imagina, por exemplo, sair o Gilberto Figueiredo [Saúde] que está fazendo um trabalho invejável, que poucos estados estão conseguindo fazer. O próprio Gilberto foi coerente e pensou primeiro no enfrentamento antes de eleição”, emendou.

Além de Gilberto, também são ventilados como possíveis candidatos os secretários Mauro Carvalho (Casa Civil), Rogério Gallo (Fazenda), Marcelo de Oliveira (Infraestrutura) – todos filiados ao Democratas.

De todo modo, conforme o presidente, caso o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) opte pelo não adiamento do pleito, o DEM também terá outros nomes para apresentar na disputa eleitoral da Capital.

Entre eles, o presidente da sigla no Estado, o ex-deputado federal Fabio Garcia, o presidente da Assembleia Eduardo Botelho e o vereador Marcelo Bussiki.

Fonte: Camila Ribeiro