Atriz e cantora valoriza música inédita do historiador Luiz Antonio Simas em gravação que dá amostra de EP programado para janeiro. Capa do single ‘Macumbeira’, de Jéssica Ellen
Gabriella Maria
Resenha de single
Título: Macumbeira
Artista: Jéssica Ellen
Composição: Luiz Antonio Simas
Edição: Edição independente da artista
Cotação: * * * *
♪ Ao lançar o primeiro álbum há dois anos, Sankofa (2018), Jéssica Ellen celebrou com fervor a conversão ao Candomblé na música Dídún Orin Pasè (Doce cantiga de ninar), tema de autoria da artista carioca.
Primeira amostra de EP previsto para ser lançado em 20 de janeiro pela cantora e compositora, o single Macumbeira chega ao mundo nesta sexta-feira, 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, se alinhando com a ancestralidade africana que pautou a musicalidade de Sankoka. Até porque o álbum de 2018 foi gravado com produção musical orquestrada pelo mesmo violonista Rafael dos Anjos que deu forma à gravação de Macumbeira, estilizado ponto de macumba composto pelo historiador Luiz Antonio Simas.
“Fiz essa canção como quem bate cabeça para as mulheres de mandinga, guerrilheiras das guerras do Brasil, aquelas que ao longo da nossa história – entre saias rodadas, rezas fortes, golpes de navalha – driblam a morte que os escrotos e canalhas promovem como projeto de Brasil. Jéssica Ellen, com talento impactante, tá voando!”, celebrou Simas em texto publicado hoje nas redes sociais do artista.
A fala do compositor encontra eco na aliciante gravação da inédita música Macumbeira. Mais em evidência como atriz, oficio no qual vem se destacando desde o ano passado ao interpretar a politizada professora Camila na novela Amor de mãe (TV Globo, 2019 / 2021), Jéssica Ellen merece ser ouvida atentamente como cantora.
No single Macumbeira, Ellen sustenta o canto com firmeza suave – enfatizando o tom assertivo dos versos da letra de Simas – e dá drible na intolerância religiosa nessa gravação introduzida por toque de atabaques e feita sob a direção artística da cantora.
Às batidas dos tambores (percutidos por Luiz Augusto Lima Guimarães, Moyseis Marques e Thiago da Serrinha), logo se soma o toque afro do violão de Rafael dos Anjos. O acordeom de Marcelo Caldi pontua a gravação, como um chamado para o ouvinte adentrar no sagrado universo rural das matas.
“Dentro da mata tem coco / No coco tem mironga de caboclo”, joga (bem) com as palavras Simas no refrão inicial da letra de composição que saúda entidades do Candomblé e da Umbanda como cabocla Jupira, Jurema, Maria Navalha e as Pretas Velhas recorrentes no universo religioso afro-brasileiro.
A cantora valoriza a música. Na voz de Jéssica Ellen, Macumbeira baixa com força no terreiro para guerrear na luta contra os preconceitos racial e religioso.
Fonte: G1