Foto: Rogério Florentino/OD

O governador Mauro Mendes (DEM) deixou claro em entrevista à imprensa nesta semana que o imbróglio que virou a obra paralisada do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) nas cidades de Cuiabá e Várzea Grande ficará em segundo plano e que as prioridades em 2021 serão obras na Saúde, como a conclusão do Hospital Central, paralisado há 36 anos, e a retomada das obras do Hospital Júlio Müller.

Anunciar pelo menos uma solução para o problema do VLT no primeiro ano de mandato foi uma das principais propostas de Mauro Mendes durante sua campanha em 2018. Desde então já se passaram um ano e dez meses de governo e nada foi feito em relação ao assunto.

Questionado sobre a questão durante assinatura do contrato para a finalização da obra do Hospital Instituto Lions da Visão, o governador disse ter certeza que a população mato-grossense o apoiaria na escolha da prioridade à saúde, ao invés do VLT.

“O que é mais importante para o povo de Cuiabá, o VLT ou o Hospital Central e o Hospital Júlio Muller? Se fazermos uma pesquisa a saúde estará muito em primeiro lugar. Se eu perguntar para Mato Grosso se quer os hospitais regionais, a saúde funcionando ou o VLT”, rebateu o chefe do Executivo, que se desculpou novamente à população por ter prometido uma solução para o problema nos seus 12 primeiros meses de gestão.

“Falei isso sobre o VLT, mas não falei que iria retomar a obra do Hospital Central e estou retomando. Posso citar várias coisas que disse que não ia fazer e estou fazendo. Peço desculpas que disse que acharia uma solução para o VLT, mas não deu tempo ainda. Existem problemas que eu não conhecia. Temos oito ações na justiça rodando ali e é um problema gravíssimo”, disse.

Sem definir uma data, o governador ainda prometeu novamente que vai achar a tão aguardada solução para na obra que devia ter sido entregue nos eventos da Copa do Mundo, em 2014 e que está paralisada há seis anos.

“Vou dar uma solução para o problema do VLT. Pode ser em um mês, em uma semana ou em um maior tempo, para dar uma solução com segurança. Não para fazer midíatismo, muito menos para jogar para galera. Farei isso com tranquilidade e com o tempo necessário para tomar uma decisão segura e que seja melhor para Mato Grosso”, concluiu.


FONTE: OLHAR DIRETO