Pedido de demissão de Teich aconteceu após desentendimentos com o presidente em relação ao uso da cloroquina

Nelson Teich pediu demissão do Ministério da Saúde nesta sexta-feira (15/05) menos de um mês após assumir o cargo, substituindo Luiz Henrique Mandetta.

Assim como seu antecessor, ele se recusou a contrariar evidências científicas para relaxar a orientação de isolamento social durante a pandemia de coronavírus e ampliar a recomendação do uso da cloroquina no tratamento da covid-19, como queria o presidente Jair Bolsonaro.

O Brasil passou nesta quinta-feira (14/05) a marca de 200 mil casos de infectados pelo coronavírus, segundo o mais recente boletim do Ministério da Saúde. Já em relação a óbitos, até esta quinta-feira, foram registradas 13.993 mortes pela doença, 844 delas nas últimas 24 horas.

Entenda a seguir três embates que explicam a rápida saída do ministro.

Cloroquina

A demissão de Teich foi anunciada um dia após o ministro receber um ultimato de Bolsonaro para mudar o protocolo de orientação do Ministério da Saúde para uso da cloroquina no tratamento da covid-19. O uso desse medicamento é bastante controverso devido a seus fortes efeitos colaterais e há falta de evidências científicas sobre sua eficácia na cura da doença provocada pelo novo coronavírus.

Fonte: G1